Aprendendo a lidar com as diferenças no relacionamento






Você sabe lidar com as diferenças no relacionamento? O que é preciso fazer para não se frustrar e ter um relacionamento harmonioso com a pessoa amada?

Confira essas dicas.

Todos aqueles que começam uma relação apaixonados pelo seu parceiro (a), vivem grandes momentos de fantasia e sonhos que o novo sentimento lhes proporciona.

Com isso, criam uma certa fantasia de que seu (sua) tem semelhanças que os fizeram se apaixonar. Na visão dos amantes, eles se completam de tal forma que, com essa semelhança, nada pode separá-los. Entretanto, com base nessa base expectativa, uma atitude diferente da outra pessoa já pode gerar uma frustração. E dessa frustração, começam os conflitos do casal.

E são essas diferenças no relacionamento, quando não há acordo, que começam a desconstruir o castelinho dos sonhos do casal.

Elas são notadas no calor da convivência. Um gosta de esportes na televisão, o outro prefere assistir filmes. Um é uma pessoa organizada, o outro é uma pessoa mais bagunçada. Um gosta de cinema, o outro prefere ir a algum bar, ou prefere ficar em casa.

Todas essas diferenças começam a fazer com que um, ou o outro questione sua paixão pelo (a) parceiro (a). E, dependendo das personalidades envolvidas no relacionamento, isso acaba ofuscando o brilho da relação.

Mas se por algum acaso essas diferenças estão abalando todo esse brilho que começou com a paixão, ambos devem ter a maturidade para enxergar uma realidade que por muito tempo ficou atrás da visão fantasiosa da paixão.

E essa realidade é apenas uma: ninguém é igual a ninguém. Cada pessoa viveu e conviveu em um contexto diferente, com ensinamentos e culturas diversificadas. E se os amantes se propuseram a conviver juntos, eles devem compreender que existem diferenças no relacionamento.

Ou seja, por mais que o casal tenha afinidades, e algumas semelhanças; por mais que ambos se completem, e sejam companheiros de uma forma única, cada qual ainda será uma personalidade única. E isso é o mais importante a ser respeitado.

Tendo consciência dessa realidade, os dois vão aprender a lidar e respeitar suas diferenças no relacionamento, sejam elas nos gostos pessoais e opiniões.

E para ajudar aqueles que estão em dúvidas, ou com a relação abalada em seu relacionamento, por não saberem lidar com as diferenças do (a) parceiro (a), seguem algumas dicas importantes que podem auxiliá-los nestas questões.

Como aprender a lidar com diferenças no relacionamento.

Se a decisão do casal seja manter a relação, não importa o que aconteça, então o esforço para lidar com as diferenças no relacionamento deve ser colocado em prática. E esse esforço tem como base algumas atitudes pelas quais citaremos daqui em diante.

Essas atitudes são:

Paciência e compreensão das diferenças entre você o parceiro(a)

Compreender que não somos todos iguais já é um sinal de que a consciência para respeitar as diferenças está sendo trabalhada.

Considerar todas essas diferenças, e respeitar as próprias opiniões, e também as opiniões adversas às suas já é uma grande regra para uma boa convivência no relacionamento.

Isso vai ajudar o casal a viver e conviver de uma maneira harmônica. E os parceiro (a)s estarão mais aptos a encarar a realidade, enfrentando as dificuldades não apenas no relacionamento, como também em suas relações sociais e profissionais.

Isso tudo consiste em compreender a visão da outra parte, sem julgamentos e críticas desnecessárias.

Mas será que é tão difícil aprender a compreender a visão do outro em vários aspectos da convivência? Vamos ver.

O que é compreender a visão do outro?

É fundamental que saibamos que aceitar diferentes opiniões e visões não consiste no fato de estarmos menosprezando nossa própria identidade. Isto é, não estamos sendo submissos. Estamos apenas respeitando uma opinião que não é nossa.

Existe uma grande diferença entre submissão e uma postura madura onde conseguimos encarar opiniões adversas às nossas mantendo um diálogo de respeito, ainda que a opinião seja totalmente contrária.

E no contexto do relacionamento, o casal deve buscar um acordo. Acima de tudo, a busca pelo respeito entre os parceiro (a)s e pela convivência harmoniosa é fundamental.

Assim, ao invés de entrar em conflito para saber quem é o dono da razão, o ideal é que o casal consiga entrar em comum acordo para evitar determinadas situações conflituosas. Para isso, uma boa conversa com o parceiro (a) vai ajudar a equilibrar os nervos e evitar uma discussão mais problemática.

Uma maneira ideal de agir é expor a própria opinião, com assertividade, e ouvir com a mente e coração flexível a opinião do (a) parceiro (a).

Desta forma, juntos os envolvidos poderão definir o que pode e deve ser feito para que consigam chegar a um consenso satisfatório e harmonioso para ambos. Expressar os sentimentos, e valorizar sentimentos e opiniões do outro; e não apenas escutá-las, e sim compreendê-las sem julgamentos, é uma atitude madura para aprender a lidar com as diferenças no relacionamento, harmonizando a convivência entre os casados.

Um relacionamento: dois universos diferentes

E de maneira que essas diferenças no relacionamento existem e, de fato, são inevitáveis, atitudes diferentes e positivas podem começar a mudar totalmente a convivência do casal.

Ambos devem ter a consciência de que o melhor caminho para a conciliação e o acordo entre eles no relacionamento é através da troca de valores. Tanto um quanto o outro pode ter opiniões diferentes; profissões diferentes, e diferentes crenças e culturas.

Um pode ter vindo de uma família onde a educação era mais rígida. O outro de uma educação mais aberta.

Um pode ter vindo de uma família grande, onde conviveu com mais pessoas, e por isso é mais acostumado a estar rodeado de gente. O outro pode gostar mais de ficar sozinho.

Um pode ter vindo de uma família de uma determinada religião, diferente da religião do outro.

Um gosta mais de uma balada enquanto o outro é mais caseiro.

Um é mais comunicativo e gosta de passar um bom tempo com os amigos. O outro é mais reservado e prefere um momento sozinho (a).

E diversas outras situações.

Esses são apenas exemplos de diferenças entre os parceiro (a)s que, para muitos, podem atrapalhar a longo prazo a felicidade do relacionamento.

Para isso, falaremos abaixo de duas atitudes que são as mais importantes para se lidar com as diferenças no relacionamento.

O apoio e o perdão

Como já sabemos, nem sempre o parceiro (a) vai fazer aquilo que esperamos. Isso pode ocorrer em diversas situações da vida de um casal. E nem sempre um terá a mesma opinião que o outro. Para aprender a conviver com essas adversidades, é preciso buscar ao máximo a harmonização.

E existem duas coisas fundamentais que podem elevar o nível de harmonização e tolerância com as diferenças entre o casal. O perdão e o apoio.

Aprender a apoiar e a perdoar é essencial

Tenha em mente que quando se perde a tolerância e a capacidade de perdoar, perde-se o afeto e a caridade.

“O perdão é um catalisador que cria a ambiência necessária para uma nova partida, para um reinício.”

Martin Luther King

Para aprender a lidar com as diferenças – muitas delas decorrentes do defeitos do(a) parceiro(a), — é necessário que se desfaça de qualquer ressentimento aninhado ao coração. Saber perdoar é uma atitude positiva. É um sinal de empatia com erros da pessoa amada.

Uma convivência harmoniosa apenas pode ser alcançada e conservada com o esforço de apoiar e perdoar a pessoa

Isso exige de cada pessoa um certo nível de generosidade, tolerância e maturidade para se respeitar todas as diferenças existentes entre os dois envolvidos no relacionamento.

O perdão e a aceitação são virtudes que, mesmo difíceis de serem alcançadas, vão fazer uma grande diferença na vida de um casal.

Aprender a lidar com as diferenças no relacionamento pode começar acima de tudo com o perdão, apoio e total tolerância.

Basta o esforço.

E o esforço deve ser de coração para querer manter uma relação harmoniosa dentro do lar, entendendo as diferenças, aceitando a realidade, e compreendendo os defeitos e atitudes do (a) parceiro (a), .